domingo, 16 de junho de 2013

Afinal, quanto ganha um engenheiro?


         Se você ainda é estudante de engenharia, como eu, ou mesmo candidato ao curso, provavelmente já se fez essa pergunta (mais de uma vez). É possível que você também já tenha ouvido dezenas de pessoas dizendo que engenheiros ganham bem, ou comentários do tipo: “um amigo do meu primo, engenheiro recém formado, ganha XX.XXX (valor exorbitante) por mês”. Se você nunca ouviu, acredite, são bem comuns e ninguém nunca conhece o tal amigo do primo. 
Porém, raramente nós encontramos uma análise objetiva do assunto ou dados que deem uma noção precisa de quanto ganha um engenheiro. O presente artigo se propõe a discutir essa questão e explanar o que há de concreto sobre o assunto, bem como mostrar alguns caminhos que ajudam a elucidar a questão.

Qual o piso salarial de um engenheiro?

            O valor do piso salarial do engenheiro é definido pelo CREA – Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura e varia de acordo com Estado e o número de horas trabalhadas. No caso de Minas Gerais o valor para 8 horas diárias de trabalho é 8,5 salários mínimos, como pode ser visto no endereço http://www.crea-mg.org.br/Paginas/Dicas/Remuneracao-Minima.aspx. Com o salário mínimo atual (R$ 678,00) o piso corresponde ao valor de R$ 5.763,00, o que não difere muito dos valores praticados no restante do Brasil.
            Um detalhe importante a respeito dessa informação é que esse valor é o mínimo para qualquer um que tenha a carteira assinada como engenheiro, porém isso não corresponde à realidade de todos os profissionais da área. Muitas empresas contratam pessoas já formadas em engenharia para cargos como Auxiliar, Assistente de Engenharia, Analista, dentre outros, e com tal classificação não ficam obrigadas a pagar um valor mínimo. Por isso avalie sempre bem as propostas que receber e lembre-se que se você não se valorizar como profissional, ninguém o fará.

Fatores que influenciam o valor do salário

        Diversos aspectos podem impactar sobre o valor do salário que uma empresa paga a determinado engenheiro, dentre eles:

     1.   Tempo de formação;
     2.   Nível de qualificação profissional (graduação, MBA, mestrado...);
     3.      Experiência profissional;
     4.      Área de atuação;
     5.      Ambiente da própria empresa (porte, crescimento, cultura...);
     6.      Disponibilidade/realização de viagens;
     7.      Desempenho profissional.

Outros fatores podem ter influência no valor pago a quem trabalha com engenharia, porém os citados acima são alguns dos principais e geralmente são importantes aspectos nos quais o profissional pode se concentrar para ter uma carreira de sucesso.

Quais os valores praticados pelo mercado?

É difícil dizer com exatidão ou até definir o salário médio da profissão. Assim, o ideal é ficar atento aos estudos realizados por fontes confiáveis de informação, capazes de informarem faixas salarias praticadas pelo mercado.
No link http://exame.abril.com.br/carreira/ferramentas/tabela-de-salarios-rh/?empresa=engenharia encontra-se um desses estudos realizados pela Revista Exame, da Editora Abril. Ele compreende profissões de engenharia, ligadas à engenharia e geralmente desempenhadas por engenheiros. O estudo divide as faixas de valores em pequenas/médias e grandes empresas e tempo de mercado.
Alguns valores encontram-se abaixo do piso, provavelmente devido às vagas, citadas alguns parágrafos acima, para profissionais contratados de outra forma em carteira ou pela inclusão de valores ofertados por programas de trainee, por exemplo. Como se pode notar, os salários variam muito e chegam à casa dos R$ 45.000,00.
            Com essas informações, podemos concluir que é muito relativo falar dos valores recebidos por quem trabalha com engenharia. Como em qualquer profissão, diversos aspectos vão definir os rendimentos de um dado profissional no final do mês.
Os valores e informações aqui repassados dizem respeito a profissionais que trabalham de carteira assinada. Em uma próxima ocasião, discutiremos o que há a ser dito a respeito de quem trabalha como prestador de serviços.
           

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário