sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A investigação do solo e a segurança da edificação

          Ao realizar uma construção, inúmeros fatores devem ser observados para que ela seja considerada segura. A maior parte deles diz respeito aos aspectos estruturais, responsáveis pela estabilidade da edificação e consequentemente pela integridade dos moradores e ocupantes. Sendo assim, conceitos e métodos de Engenharia são aplicados ainda na fase de projetos para garantir o sucesso nesses requisitos.
          Um processo essencial, mas que muitas vezes não recebe a devida atenção, é o de investigação do subsolo. Geralmente composto por uma fase de análise preliminar e por algum método de prospecção, ele é responsável por determinar parâmetros que fornecerão uma perspectiva do comportamento que o solo apresentará ao receber os esforços vindos da edificação.

A importância da investigação do solo


          Uma edificação sempre precisa resistir a dois tipos de cargas, aquelas transmitidas pelo seu próprio peso e aquelas referentes a quaisquer coisas que estejam em seu interior (pessoas, materiais, eletrodomésticos etc.). Sendo assim, ela funciona como um sistema integrado de transmissão de esforços, onde pilares, vigas ou paredes estruturais recebem o peso das lajes e das paredes de vedação e transmitem para a fundação.
          A fundação, por sua vez, além das cargas advindas desses elementos estruturais, ainda recebe aquelas que são aplicadas diretamente sobre o piso e as transmite para o solo. Sendo assim é de extrema importância que ele apresente uma resistência que o mantenha estável diante do peso que recebe. Caso isso não aconteça, a edificação corre o risco de apresentar trincas, fissuras e, em casos extremos, até mesmo desmoronar.
          Porém, não basta conhecer apenas as características superficiais do solo, visto que ele não é homogêneo e o efeito dos esforços vai até alguns metros abaixo. Daí a necessidade de se investigar o subsolo e definir características como resistência a penetração, consistência e nível de água.

Métodos de investigação do subsolo


          Vários métodos encontram-se disponíveis para definição das características do subsolo, alguns mais completos do que outros. Alguns exemplos são: Sondagem a trado, sondagem rotativa, refração sísmica, indução magnética, poços e galerias.
          Um dos mais conhecidos e mais utilizados atualmente é o de sondagem a percussão, ou sondagem SPT. Nele, basicamente, ocorre a perfuração do solo até uma profundidade pré-definida em projeto ou até encontrar um material de resistência elevada, como rocha, por exemplo. Durante a perfuração, a cada metro mede-se a resistência da camada analisada e coleta-se uma amostra para análise em laboratório.
         A sondagem a percussão fornece um diagnóstico muito consistente do subsolo. Além disso, é um processo de baixo custo, que geralmente não representa mais que 1% do custo total, e muito simples de ser executado o que o torna uma boa opção para vários tipos de obra.

Sempre é melhor prevenir

          Existe o mau hábito de se deixar a investigação do subsolo de lado, principalmente em regiões onde a ocorrência de desmoronamentos por esse motivo é baixa. Porém, é essencial que o processo seja executado, visto que ele define as características que serão necessárias para projetar uma fundação condizente com as características do local.
         Sendo assim, independentemente do porte da construção, é importante jamais pular essa etapa, afinal, não adianta construir a estrutura sem antes garantir que a base da edificação desempenhará sua função com a devida qualidade.

Fonte das imagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário