domingo, 4 de agosto de 2013

Grandes Obras de Engenharia: O Eurotúnel

           Ao longo da história, por diversas vezes, surgiram propostas da criação de um túnel que permitisse acesso direto entre França e Inglaterra. A ideia foi considerada, por muito tempo, como de gigantesca audácia, visto que esbarrava em questões diplomáticas e nas inúmeras barreiras físicas a serem vencidas para viabilizar um projeto de engenharia como esse.
            Vencida toda a burocracia que envolvia a concepção do empreendimento, em 1987 foi ratificado o documento que autorizava o projeto que culminou com o Eurotúnel, inaugurado em 1994. A construção corta o Canal da Mancha e percorre mais de 50 km para ligar a cidade de Folkestone, na Inglaterra, à Calais, na França.

A Construção


            A construção do Eurotúnel, foi dificultada principalmente por sua peculiaridade em cortar o trajeto tanto de forma subterrânea quanto de forma submarina. Dos 50 km que ele percorre, somente 13 ficam apenas abaixo da terra e o restante encontra-se, em média, a 40 metros abaixo do fundo do mar.
Sendo assim, diversos estudos geotécnicos, além de radares e sonares, foram necessários para permitir uma visão consistente do trajeto. O Planejamento foi então orientado para a antecipação dos percalços que seriam enfrentados, visando a segurança durante toda a execução.
As escavações fizeram a utilização de aproximadamente 15.000 trabalhadores e duraram 7 anos. O interessante é que elas foram iniciadas simultaneamente nos dois países, de forma a se encontrarem em algum ponto intermediário do percurso. Tal processo exigiu um controle rigoroso, responsável por garantir que quando as máquinas se alcançassem, o desnível fosse de no máximo 2 centímetros.
            O Eurotúnel, na realidade é constituído por 3 túneis. Os trens podem transitar entre eles, se necessário, sendo que o central foi feito para realização de manutenções e para saídas de emergência, o que é possibilitado por encontros entre as 3 passagens a cada 375 metros. A sustentação desses túneis foi feita através anéis de concreto, moldados in loco e instalados a cada 1,5 metro de escavação. Esses anéis sofreram processos de reforço estrutural em pontos de maior aplicação de carga.


            Quanto às condições no interior dos túneis, foram necessários dutos, pelos quais saísse o ar empurrado pelos trens, aliviando a pressão, e um sistema de drenagem formado por bombas, responsável pela retirada de água de infiltrações. Além disso, encanamentos de água fria regulam a temperatura, garantindo o conforto térmico necessário.

A proteção e a manutenção

            Devido à agressividade do ambiente em que o Eurotúnel foi construído, foram necessárias medidas para reduzir o desgaste causado tanto nos equipamentos quanto nas instalações. Assim, Todos os componentes metálicos utilizados passaram por um processo de galvanização e pintura.
            Quanto à manutenção, além das medidas preventivas, realizadas periodicamente, os trens são monitorados constantemente a partir de salas técnicas adjacentes aos túneis, que também são responsáveis pelo funcionamento dos sistemas complementares, como de ventilação, iluminação e comunicação.

A Engenharia e o bem comum


            Uma obra como essa exigiu perícia na aplicação de inúmeras ferramentas de engenharia, além de consistência e integração entre as várias etapas envolvidas na concepção do Projeto. O sucesso alcançado mostra o quanto o conhecimento bem aplicado pode ser benéfico para a sociedade.
            Hoje, o Eurotúnel transporta mais de 7.000.000 de pessoas por ano, em uma viagem que dura apenas 35 minutos. Além disso, veículos de passeio, veículos pesados e cargas de vários tipos, transitam em vagões apropriados, de forma simples e rápida. Os retornos obtidos, apesar das dificuldades encontradas, mostram porque o Eurotúnel é uma das Grandes Obras de Engenharia concebidas pela humanidade.

Um comentário: